Psicologia

19/04/2016

Ponderações Sobre o Tempo

Ponderações sobre o tempo: A cada segundo a vida pulsa

Grande parte da vida passa de maneira quase imperceptível. É comum frases como: o tempo voa, nem bem começou o ano e já estamos em novembro, piscamos e já estamos velhos, nem vemos o tempo passar... enfim, são tantos os exemplos que poderíamos encher um parágrafo. A noção do tempo e da vida depende de um fato importante: um estado de presença constante,ou seja, estar presente e consciente de tudo que se passa a todos os momentos. Se por alguns instantes conseguirmos perceber tudo o que se passa (em você e no ambiente) teremos uma real dimensão da quantidade de eventos que ocorrem em um simples momento.

O tempo enriquece e se engrandece com a consciência. As horas passam, os minutos correm e os dias se vão mas agora não mais desapercebidos. Eles, os dias, se tornam inteiros assim como nós. Pode soar abstrato, mas se praticado é uma experiência bem concreta. Os dias custam a passar nos momentos de tristeza mas nos momentos felizes correm como um jato, afinal, o tempo é subjetivo: um tic tac dos segundos que muda de acordo com as emoções. Existem aqueles que têm tempo para tudo, aqueles que não têm tempo para nada, aqueles que vivem atrasados ou correndo e aqueles que caminham na vida como se tivessem em sua mão o controle do relógio. Há também os que vivem de passado e outros, que já estão no futuro. O tempo é realmente incrível.

As mesmas 24 horas que tanto diferem de pessoa para pessoa podem se tornar tanto inimigas como grande amigas. Um olhar atento ao corpo intensfica esta sensação pois, mesmo quando estamos totalmente parados fisicamente, o coração bate em média 70 vezes por minuto, gerando energia suficiente para levantar um peso de 75.000Kg a cada dia. Os pulmões absorvem por dia 560 centímetros cúbicos de oxigênio e os impulsos nervosos viajam em torno de 16.000.000 quilômetros por minuto. Estes são pequenos exemplos destes processos misteriosos e complexos que acontecem involuntariamente e inconscientemente a cada minuto de vida. Além disto há todos os pensamentos e associações livres mentais que  ocorrem a todos os segundos: “...uma flor que remete ao jardim da casa da avó que cozinhava tão bem aquele bolo de laranja do pomar do vizinho que era gordo como o Jô Soares que ontem entrevistou o Calegari que lembra meu psicanlista que se parece com Einsten...”; assim vai toda a viagem mental que ocorre sempre, mesmo em sonhos. A cada lembrança, ou antes mesmo delas, está uma combinação de percepção sensorial (os sons dos ambientes, os cheiros, as cores, o tato, as sensações) que permeiam todos os acontecimentos.

Conscientes ou não, estamos sempre respondendo a estes estímulos. Quando inconscientes perdemos a dimensão do tempo. Quando conscientes nos tornamos observadores e participantes deste imenso e magnífico princípio da vida e da grandiosidade do tempo. Ser presente e consciente é uma prática que qualifica e enriquece a vida, além de honrá-la por sua grandiosidade e generosidade de sensações e experiências por segundo.

Viva plenamente e sinta o tempo passar, isso pode fazer toda diferença.

"Arthur Rubinstein, um grande pianista do séc.XX certa vez foi questionado sobre como conseguia usar as notas com tanta maestria, de maneira calma ele respondeu: "Eu uso as notas do mesmo jeito que os outro pianistas, mas as pausas...Ah! É aí que está a arte."

"A mente existe no tempo, na verdade, mente é tempo; ela existe no passado e no futuro.
E lembre-se, tempo consiste somente de dois modos, o passado e o futuro.
O presente não é parte do tempo, o presente é parte da eternidade."

( Osho, em "The Book of Wisdom)