Massoterapia

19/04/2016

Massagem na Gestação

Massagem durante a Gestação

Muito divulgada a Massagem Para Gestantes, é importante que você tenha algumas informações antes de escolher o terapeuta que ira assisti-la neste momento importante e delicado.

A Gestação e o Uso da Massagem podem ser divididos em três trimestres:

- Primeiro Trimestre

Importante ter acompanhamento médico e autorização para o inicio das massagens. 
Período delicado para mãe e bebê, mas caso a gestação esteja correndo normalmente e de maneira saudável não há contra indicações fortes à realização da massagem, somentealguns cuidados devem ser tomados.

Durante este trimestre a mãe passará por mudanças hormonais significativas que podem gerar instabilidade emocional e mudanças de humor. 

A massagem deve ser realizada com manobras leves que produzam efeito relaxante e de bem estar. Isto ajudará a mãe a se tranqüilizar e consequentemente alivia ansiedades e conflitos emocionais comuns nesta etapa de grande transformação.

O abdome e pontos nos tornozelos e pés devem ser evitados. Manobras de alongamento também não são indicadas.

A Mãe pode se posicionar de bruços na maca, como normalmente. Um travesseiro na região dos seios pode acomodar melhor aquelas que sentem seus seios muito doloridos.

- Segundo Trimestre

Neste segundo trimestre os hormônios estabilizam e a mãe costuma se sentir melhor e mais segura. Os primeiros movimentos do bebê podem ser sentidos.

A drenagem linfática com manobras leves e relaxantes é indicada pois costuma ser um período em que a mulher retêm líquidos e seu corpo começa a mudar rapidamente, gerando sensação de peso e cansaço. A Drenagem auxilia na eliminação de líquidos e na diminuição do inchaço das articulações, mais proeminente no último trimestre.

A Mãe pode não se sentir confortável deitando-se de bruços. Uma maneira confortável nesta fase e no próximo período é deitar de lado na maca.  Apoios laterais ajudam para que a massagem nas costas e posterior das coxas seja realizada de maneira confortável para a mãe e bebê.

A massagem pode ser um momento de grande intimidade para mãe e bebê. Neste momento de relaxamento e tranqüilidade, o contato com o corpo gera imenso sentimento de bem estar e conexão com as mudanças físicas e emocionais deste período.

- Terceiro Trimestre

O crescimento acelerado do bebê e o ganho de peso nesta etapa final podem gerar desconforto para a Mãe. A mudança postural e a compressão do diafragma pelos órgãos internos podem gerar dificuldade na respiração. A mãe então força ombros e pescoço como forma de superar a dificuldade de respirar e isto causa tensão extra e pontos de dor e desconforto. A Massagem nos ombros, pescoço e costas causam um alivio temporário, relaxando a musculatura e aliviando a dor.

Nas semanas que antecedem o parto o bebê vira  e se encaixa na posição correta para o nascimento, isto libera o diafragma de uma tensão exagerada, facilita a respiração, porém aperta a bexiga, causando vontade de urinar freqüente. Neste período a Mãe retêm liquido e as pernas, tornozelos e pés costumam ficar bem inchados. A Massagem auxilia na eliminação de líquidos e na melhor circulação das pernas e pés. A sensação de bem estar é instantânea, porém paliativa. Neste período drenagem de 2 a 3 vezes por semana é recomendada.

Com o sono interrompido pela constante ida ao banheiro e desconforto na posição, aMassagem pode relaxar e proporcionar um momento para recuperar a energia e descansar, normalmente a mãe dorme tranquilamente durante as massagens.

A posição na maca dependerá do conforto da mãe e do bebê. Provavelmente almofadas mais alta são necessárias, já que a respiração fica comprometida. Auxilio para virar-se na cama pode ser necessário também, já que a Lombar -parte baixa das costas- fica bastante dolorida, uma massagem gostosa nesta região gera uma sensação de conforto e relaxamento profundo.

Recomendações Importantes

Com exceção de alguma complicação ou circunstância especifica a massagem relaxante e drenagem linfática não apresentam contra indicações para mãe nem para o bebê.

Oposto a isto, a Massagem intensifica a sensação de bem estar, a conexão da mãe com seu corpo e as transformações especificas deste período, relaxa a musculatura e auxilia a circulação linfática gerando sensação de bem estar e proporciona um momento de grande intimidade entre mãe e bebê. 

A Massagem deve ser leve, sem manobras vigorosas ou de alongamento. Evitar regiões e pontos específicos dos pés e tornozelos. Dependendo da disponibilidade da Mãe, massagens de 2 a 3 vezes por semana ( principalmente no último trimestre) é o mais indicado.

A Autorização do médico é necessária, pois o médico é o mais indicado para observar e ponderar os ganhos ou riscos da Massagem para a Mãe e o Bebê.