Grupos

02/05/2016

A jornada do Tarô

“O Universo é Mental.” Essa máxima de Hermes pontua a força da mente na criação. A mente é poderosa, podendo tanto reprimir o potencial pessoal, quanto permitir experimentar a fagulha divina do poder criador. A característica mental mais limitadora é o julgamento. O hábito de julgar cria constantemente um dialogo interno baseado em críticas e condicionamentos. Isto leva à exaustão. Ficar na mente nos distancia do cerne e da potência.   

Um dos caminhos para sair desse jogo mental é a brincadeira e alegria. Permitindo que o nosso espírito brincalhão deixe tudo mais leve. Não se levar tão a sério. Isto não é negligenciar o que é sentido nem percebido, mas é poder ir além dos medos, desconfortos e carências, com a clareza que isto só é real na superfície. No centro há amor, alegria e abundância! Mais próximos do cerne, as relações podem se estabelecer na potência, no crescimento e no compartilhar. Não são mais necessários jogos de poder, diplomacias sem sentido e concessões dolorosas. A confiança na força da vida nos permite deixar fluir, indo com a correnteza, com segurança e a plena confiança no potencial de realização. Deixar fluir a potência, a verdade, o amor, a pureza e a vontade de criar uma nova forma de ser e se relacionar. Entrar em contato com o criador interno, a fonte ilimitada, o grande sol. Alguns momentos já sentimos a essência e, agora, podemos voltar pra lá, podemos nos manter lá, para isso basta confiar que somos nossos próprios mestres.  São os condicionamentos que vem de muitas gerações, metaforicamente ou literalmente de vidas passadas, que aprisionam. Algumas visões terapêuticas dizem que carregamos em nosso DNA memórias de seis gerações... imagina quantas coisas não guardamos em nosso inconsciente. Assim, somente a vontade carregada de intenção poderá movimentar e liberar essas memórias reprimidas. A cada movimento direcionado com intensidade para o cerne vai criando uma oportunidade, vai abrindo um caminho, vai despertando nossa consciência para a verdade. A compreensão que as grades que nos limitam são apenas ilusão mental. Talvez as grades nem estejam mais lá. É só ter a vontade ousada de arriscar ser nós mesmos. E quem sabe assim possamos descobrir que já somos perfeitos, inteiros e integrais.

Viva a jornada dos Guerreiros e Guerreiras que procuram descobrir a Verdade.

Gratidão!